Atividades e cultura

Paris, cidade-luz, se revela cada vez mais mágica e apaixonante...

Sua estadia começa aqui, no coração dos símbolos da cultura francesa: o Louvre e suas coleções, o teatro da Comédia Francesa e a Ópera Garnier.

Atividades e cultura

O Regina oferece a seus clientes uma oportunidade sem igual de aproveitar para fazer compras e visitar lugares históricos e culturais em pleno coração de Paris.

Alguns endereços:

Beaubourg (Centro Pompidou: Metrô linha 1, Hotel de Ville):

Essa instituição cultural concebida por Georges Pompidou abriu suas portas em 1977. O edifício é obra dos arquitetos Renzo Piano e Richard Rogers.

Um dos monumentos mais frequentados da França, recebe cerca de seis milhões de visitantes por ano.

Dedicado à criação moderna e contemporânea em todas as suas formas, o centro Pompidou – chamado também de Beaubourg pelo nome da região onde é localizado – oferece ricas coleções permanentes de arte moderna assim como prestigiosas exposições temporárias.

É possível, assim, assistir a projeções de filmes – principalmente durante o festival do Cinema do Real dedicado a documentários.

Champs Elysées (metrô linha 1, estação Franklin Roosevelt (Rond Point)):

A mais bela avenida do mundo para a maioria dos franceses.

Local mítico para os apaixonados, seu nome vem do lugar do submundo onde se instalam as almas virtuosas. Sem nenhuma dúvida, um dos principais pontos turísticos da capital.

Aqui você encontra restaurantes, lojas, bares, danceterias e muito mais. Chamada comumente como “Les Champs” pelos franceses, é uma avenida imperdível para quem quer ver e ser visto.

É aqui também que acontece, no dia 14 de julho, o desfile que comemora a festa nacional francesa.

Concorde (metrô Concorde, linhas 1, 8 e 12):

Com seus 84.000 m2, é a maior praça de Paris.

Situada no início da Champs-Élysées no 8o arrondissement da capital francesa, ela liga esse bairro, que vai até o noroeste da cidade, a Tuileries, que se estende para o sudeste.

Ela leva ao norte pela rue Royale e a Madeleine e ao sul pela pont de la Concorde e o palácio Bourbon.

Grand Palais (Metrô Champs Elysées-Clemenceau linhas 1 e 13):

Construído para a Exposição universal de 1900 por Charles Girault, esse colossal palácio de vidro, ferro e pedra apresenta apenas exposições temporárias e eventos pluridisciplinares, sob sua nave e nas galerias.

Les Halles – Chatelet (metrô linha 4):

Apelidado de “O ventre de Paris” pelo escritor Emile Zola, a área dos Halles é dedicada ao comércio desde a Idade Média.

Vários mercados de alimentos importantes se instalaram ali o que resultou na criação de muitas lojas e oficinas de artesãos em um perímetro amplo, cada rua tendo sua especialidade.

Os Inválidos (metrô Varenne, linha 13):

Imponente edifício construído por Luís XIV para abrigar soldados inválidos ou veteranos de guerra.

Com uma cúpula de 105 m visível a quilômetros de distância – abriga desde 1840 a tumba de Napoleão I, mas também a igreja Saint-Louis-des-Invalides, o museu do Exército, o dos Mapas de Relevo (Musée des Plans-reliefs), o da Legião de Honra bem como o novo Historial Charles-de-Gaulle.

Museu do Louvre (5 minutos a pé):

O museu do Louvre é um dos maiores museus do mundo e o maior museu de Paris pela superfície de 210.000 m2 dos quais 60.600 m2 dedicados a exposições.

Situado no coração da cidade, entre a rive droite do Sena e a rue de Rivoli, no 1o arrondissement, o edifício é um antigo palácio real, o palácio do Louvre.

Madeleine (metrô 14) :

A igreja da Madeleine apresenta uma fachada em forma de templo antigo em perfeita simetria com o palácio Bourbon, que fica em frente a ela, do outro lado do rio Sena pela rue Royale e place de la Concorde.

Cercada de colunas corintianas, a igreja é rica em obras esculpidas e pintadas, entre elas um importante afresco de Jules Ziegler, que, ornando o coro, conta a história do cristianismo. Atribuído a Aristide Cavaillé-Coll, o grande órgão da Madeleine é célebre, assim como a acústica da construção.

Algumas missas são musicadas e a igreja recebe frequentemente concertos de música clássica.

Museu d’Orsay (metrô Solferino, linha 12, ou 9 minutos a pé, a 750 metros):

O museu d’Orsay é um museu nacional situado em Paris, na rive gauche do Sena, no 7o arrondissement, construído na antiga estação de trem d'Orsay (1898) e inaugurado em 1986.

As coleções do museu apresentam a pintura e a escultura ocidentais de 1848 a 1914, bem como as artes decorativas, a fotografia e a arquitetura.

O museu possui a maior coleção de obras impressionistas do mundo e permite apreciar obras-primas da pintura, como “O Almoço sobre a grama”   e “Olympia”, de Édouard Manet, o “Dançarina de 14 anos”, de Degas, “A Origem do Mundo”, “Enterro em Ornans”, O Ateliê du pintor,de Courbet ou ainda cinco quadros da Série Catedrais de Rouen, de Monet, e “Baile do Moulin de la Galette la Galette”, de Renoir.

Museu Rodin (metrô Varenne, linha 13):

Em um sublime hotel particular do século XVIII, o hotel Biron, fica exposta uma parte importante da obra do escultor Auguste Rodin e suas coleções pessoais.

“O pensador”, “O beijo”, “Toilete de Vênus” ou “A Danaïde”, são criações fascinantes cuja força é impossível não admirar.

Não dá para perder esse museu, que abriga também a obra de Camille Claudel, bem como telas de Monet, Van Gogh e outros artistas amigos de Rodin.

O escultor não podia sonhar com um espaço melhor, um charmoso jardim romântico cercado de tílias e ocupado por esculturas famosas como a célebre “Porta do Inferno”.

Um museu para visitar em família ou a dois. Exposições sobre o trabalho de Rodin ou outros temas são organizadas regularmente.

Notre Dame (metrô Hotel de Ville, linha 1):

O canteiro de construção da catedral Notre Dame de Paris é um dos mais faraônicos que a história da França conheceu. Dois séculos de trabalhos, iniciados em 1160 sob o comando de Maurice de Sully.

Nessa época, o bispo de Paris queria substituir duas pequenas igrejas que ficavam na ponta sudeste da île de la Cité.

No plano arquitetônico, as dimensões da catedral exprimem o tamanho dessa obra de arte do estilo gótico: 5.500 m2 de superfície do terreno, 130 metros de comprimento, 48 metros de largura e 35 metros de altura sob o arco, 69 metros até o topo das torres.

Ópera (metrô Ópera, linha 7):

O edifício se impõe como um monumento particularmente representativo da arquitetura eclética e do estilo historicista da segunda metade do século XIX e se inscreve na continuidade das transformações de Paris conduzidas por Napoleão III e pelo prefeito Haussmann.

Palais-Royal (metrô linha 1):

O domínio do Palais-Royal (Palácio Real) reúne três instituições da República francesa: o Conselho de Estado, o Conselho Constitucional e o ministério da Cultura e da Comunicação.

Nesse edifício encontram-se igualmente a sala Richelieu da Comédia Francesa e o teatro do Palais-Royal.

Um agradável jardim, rodeado de galerias de comércio, orna o centro do espaço.

Ao sul do jardim, têm-se acesso ao pátio de Honra.

Praça Vendôme (7 minutos a pé):

É o local do luxo.
Alguns dos mais célebres joalheiros, relojoeiros, costureiros, bem como o grande hotel Ritz estão instalados ali, aos pés dos hotéis particulares do século XVIII que rodeiam essa praça concebida por Jules Hardouin-Mansart sob o reinado de Luís XIV.

Ali também fica o Ministério da Justiça.

Pont Neuf (metrô Pont Neuf, linha 7):

É uma das mais antigas de Paris. Inaugurada em 1607 pelo rei Henrique IV, ela começou a ser construída durante o reino de seu predecessor, Henrique III.

Sua originalidade vem do fato de que ela era desprovida de casas, norma adotada na época.

O local é classificado como monumento histórico desde 1889.

Em 1991, foi eleito como patrimônio mundial da Unesco, com as marginais do rio Sena em Paris.

Museu de Artes Decorativas:

Situado em frente ao Hotel Regina, no 107 da rue de Rivoli, o Museu ocupa as alas Rohan et Marsan do palácio do Louvre e reúne, na verdade, três museus: o Museu de Artes Decorativas, o Museu da Arte e do Têxtil, e o Museu da Publicidade, assim como uma nave central dedicado a exposições temporárias. Uma seção é dedicada aos brinquedos e no térreo há uma loja com uma seleção de livros, bijuterias, acessórios de moda, papelaria, brinquedos, artes da mesa e objetos inspirados no passado mas também design contemporâneo.

Museu de Artes Decorativas

Jardin des Tuileries

Museu Orangerie

O Hotel Regina e o Cinema

L’AIDE (2009)

Curta metragem de J.P Mocky baseado em um conto inédito
de Alfred Hitchkock
Com Christina Reali

BUS PALLADIUM (2009)

Filme de Christopher Thompson
Com Géraldine Pailahse

ADELE BLANC SEC (2009)

Filme de Luc Besson
Com Louise Bourgoin

PARIS CONNECTION (2010)

Filme baseado na obra de Jacky Collins
Com Antony Delon

CREDIT POUR TOUS (2010)

Filme de Jean-Pierre Mocky
Com Rufus e Arielle Dombasle

BELLE COMME LE JOUR (2011)

Filme de Vincent Decis
Com Juliette de Ferluc e Giasco Bertoli

UPGRADE (2011)

Filme de Franziska Bush
Com Sandrine Bonnaire Jessica Schwartz Hans Werner Mayer e Gérard Jugnot

Consulte a lista completa

Graças a seu estilo único, diversos diretores de cinema rodam seus filmes no hotel Regina. Suas suítes, seu hall impressionante, sua galeria, seus lustres imponentes em cristal, sua porta giratória em carvalho esculpido e espelhos aparecem em vários filmes como símbolos do luxo à francesa.

Photo01 - item
MAPA DO SITE
Fechar
Version française English version Deutsch Version русская версия 日本の